quarta-feira, 4 de abril de 2012

Médico abandona paciente na sala de cirurgia‏

Por: Mackson Matheus França Nepomuceno

A Sr. Maria Jurací Pereira Nepomuceno, 75 anos, minha avó paterna, iniciou um tratamento contra o câncer de mama em 2007 no Centro de Oncologia da cidade de Mossoró. Durante estes últimos quatro anos a paciente foi muito bem tratada por todos aqueles que fazem parte daquele Centro, inclusive a pessoa maravilhosa de Dr. Cure de Medeiros, chefe do local.

Neste período a minha avó passou por duas angioplastias, dois cateterismos, duas mastectomias (retirada da mama), radioterapia e submetida à visitas mensais ao Centro de Oncologia em Mossoró, sem contar os diversos exames necessários para o acompanhamento da evolução da doença.

O tratamento ocorreu de forma maravilhosa, se é que podemos utilizar esta palavra para esta doença, pois esta estava controlada. Porém, nos últimos três meses o câncer evolui para regiões do abdômen, como fígado e pulmão. Ocorreu também, uma paralisia facial no fim de Janeiro deste ano. Diante da abrupta evolução do quadro da idosa, o médico Dr. Cure decidiu pela quimioterapia, procedimento que exigira a colocação de um catéter na região do pescoço para receber a medicação.

Procuramos, para nosso atual infortuito, o Dr. Yvis Gadelha Serra (CRM 4007), que inicialmente se mostrou bastante educado, face que viria a mudar no dia da cirurgia. O procedimento para a colocação do catéter foi marcado para o dia 17 de fevereiro de 2012 na Casa de Saúde Dix-Sept Rosado, estivemos no local às 8:00h como combinado e a paciente foi levada para a cirurgia. Com uma hora de procedimento o médico nos aparece bastante exaltado dizendo que não havia colocado o catéter, pois havia sido ofendido pela senhora de 75 anos. Minha avó saiu da sala de cirurgia muito abalada com duas incisões no pescoço abertas e a pressão arterial em 18/12, verificada posteriormente no Centro de Oncologia, onde tivemos todo o apoio após o ocorrido. As enfermeiras presentes confirmaram a versão dada pela idosa, de que o médico não estava conseguindo colocar o catéter na região do pescoço e iria tentar na coxa, quando a paciente perguntou se não haveria anestesia, o médico respondeu grosseiramente com outra pergunta: “você pagou por anestesia por acaso? não quero mais nem ver você na minha frente”, seguido do ato de rasgar o cheque do pagamento na frente da paciente cardíaca e sair da sala de cirurgia.
 
Revoltados, procuramos o Conselho Regional de Medicina, CRM, e denunciamos o médico. Também procuramos a Delegacia Especializada em Assuntos da Mulher, DEAM e o Ministério Público, todos os órgão se mostraram surpresos e revoltados com a atitude do médico.

Mas o catéter ainda precisava ser colocado, então procuramos um médico de confiança de Dr. Cure, o Dr. Francisco Pinto, em Natal. Nesta consulta, nos fora informado que, se esperássemos pelo SUS, teríamos ainda de 20 a 40 dias de espera. Mas, o tratamento está interrompido há um mês, então como não podíamos esperar mais, optamos pelo procedimento particular que custa R$ 3.900,00.

Dr. Yvis Gadelha fica sabendo desta nossa consulta e propõe um acordo por telefone: se retirássemos a denúncia no CRM ele iria pagar a colocação do catéter. Em um ato de desespero, já que não tínhamos o dinheiro, no dia 22 de março, não só retiramos a queixa, como prometemos não entrar com ação indenizatória por danos morais e materiais e nem divulgar o caso à imprensa.

Fizemos nossa parte, com muito embrulho no estômago por não vê-lo pagar pelo que fez, mas infelizmente o médico não fez a parte dele. Tentamos até o dia 24 de março, convencer (veja só!) o médico da necessidade urgente da idosa. Este se mostrou extremamente frio, indiferente e sem palavra, retificando várias vezes o que havia dito e afirmando que só poderia ajudar a paciente se ela aceitasse se ele ou um amigo dele fizesse a cirurgia, situação prontamente rejeitado pela família por total falta de confiança no médico.

Como o médico se mostrou sem o mínimo de humildade e humanidade, decidimos por recolocar a queixa no CRM, entrar com ação indenizatória por danos morais e divulgar o caso. Para o último ponto, divulgar o caso, conto com sua ajuda, pois esse monstro não pode continuar impune.
Lembre deste nome: DR. YVIS GADELHA SERRA (CRM 4007). Desta vez foi conosco, amanhã poderá ser com você ou algum parente seu.

 

Gostou da Postagem?

2 comentários:

  1. Amigos, peço desculpa, devido a problemas enfrentados causados por vírus no nosso site, tivemos que remover todos os links parceiros,aos poucos fomos colocando de volta, peço desculpas mais uma vez pelo esquecimento do link de vocês.
    Já colocamos novamente o link de vocês na nossa pagina como vocês podem conferir acessando WWW.ocarinhadanet.com
    Obrigado

    ResponderExcluir
  2. está ai o link cara, peço desculpa, pq tinha perdido a lista de blogs, depois refiz, mas infelizmente tinha ficado faltando o vosso link.

    ResponderExcluir